IMLB - Instituto Mãos Limpas Brasil

Missão: Ser a Entidade mais ética da História do Brasil

Diretor de Redação

Mtnos Calil

Login

NO BRASIL, um ascensorista da Câmara Federal, ganha mais para servir os elevadores da Casa, do que um Oficial da Força Aérea, que pilota um Mirage.

Passe Livre convoca 1ª passeata contra a alta das tarifas de ônibus

atocontratarifa

Responsável por eclodir manifestações em junho de 2013 por todo o Brasil, grupo promete voltar às ruas para barrar reajuste em SP

 Não aceitaremos nenhum centavo a mais! Agora é de R$ 3 para baixo, até zerar!

Congeladas desde o histórico movimento popular eclodido em junho de 2013 por todo o Brasil, as tarifas de transporte público em São Paulo começam a subir no próximo dia 6.

E o Movimento Passe Livre (MPL), responsável por alguns dos primeiros atos que levaram milhões às ruas para reclamar também de outras dores, já avisou:

 - Não aceitaremos nenhum centavo a mais! Agora é de R$ 3 para baixo, até zerar!

Na ocasião, as tarifas de ônibus e metrô subiriam de R$ 3,00 para R$ 3,20. Mas, após as manifestações ganharem proporção inesperada – e depois de muito os dois baterem os pés -, o prefeito Fernando Haddad e o governador Geraldo Alckmin não tiveram escolha: recuaram.

Agora, a Prefeitura pretende levar o preço da passagem de ônibus, quando paga em cash, para os R$ 3,50. Quanto às viagens de metrô, por ora não há anúncio oficial em relação ao tamanho do reajuste.

Para quem quiser repetir o coro de 2013, de ♪ quem não pula quer tarifa ♫, o primeiro “grande ato contra” do MPL está marcado para 9 de janeiro, em frente ao Teatro Municipal.

Quatro dias antes, no dia 5, eles prometem aula pública diante da Prefeitura – “se é que alguém ali ainda quer aprender alguma coisa”, dizem. Ambos os eventos estão marcados para as 17hs.

Sobre o passe livre estudantil anunciado pela gestão Haddad, o MPL considera uma vitória de quem esteve nas ruas, “uma conquista do povo”. E entende que cobrar passagens dos demais cidadãos “é uma escolha política pela exclusão de pessoas e em favor do lucro dos empresários de ônibus”.

Procurados pelos De olho nos preços para maiores esclarecimentos, representantes do MPL ou se negaram a conversar ou não atenderam aos telefonemas. Mantemos nosso espaço aberto, caso queiram.

Doeu no bolso?

Reclame nos comentários acima, à direita, ou aqui com a gente:

gustavo.ferreira@estadao.com

GUSTAVO SANTOS FERREIRA

27 Dezembro 2014 | 13:16

Pin It

Logo TAYSAM Web Design 147x29

Selo Google1