IMLB - Instituto Mãos Limpas Brasil

Missão: Ser a Entidade mais ética da História do Brasil

Diretor de Redação

Mtnos Calil

Login

"Antigamente os cartazes nas ruas com rostos de criminosos oferecia recompensas, hoje em dia pede votos...
E o pior é que o BRASILEIRO dá...

No dia seguinte à sua eleição Dilma começa a sofrer um surpreendente cerco da Câmara e do Senado, levando duas "porradas" ao mesmo tempo. Desculpe pelo termo chulo, mas não conheço um sinônimo de bom nivel. Na primeira sessão da câmara depois da reeleição o decreto dos conselhos populares foi derrubado, o que vai se repetir no senado. (ou não?)O outro revés dilmístico se deu com o plebiscito: os deputados aceitam o referendo popular em torno do que eles propuserem para a reforma politica, no lugar do plebiscito que a Dilma queria. Ela já abriu mão desde desejo. 

Renan Calheiros diz que Senado também pode derrubar decreto sobre conselhos populares

 

Sobre derrota na Câmara, presidente do Senado afirma que já havia insatisfação com a matéria na Casa antes das eleições

Brasília - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PDMB-AL), afirmou nesta quarta-feira, 29, que o decreto presidencial regulamentando a criação de conselhos populares não deve ser aprovado na Casa, repetindo-se a derrota sofrida nesta terça pelo governo na Câmara. "Já havia um quadro de insatisfação com relação a essa matéria (antes das eleições). Ela ser derrubada na Câmara não surpreendeu, da mesma forma que não surpreenderá se ela for e será derrubada no Senado Federal", disse.

Renan rebateu ainda afirmação dada mais cedo pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, de que a derrota na Câmara foi uma revanche por causa do resultado da eleição. "É uma vitória de Pirro, quando o Congresso, de maneira persistente, insistente, acabou criando um decreto legislativo que derrota o decreto da presidente. Nada mais anacrônico, contra os ventos da história, nada mais do que uma tentativa triste de se colocar contra uma vontade irreversível do povo brasileiro, que é de participação", comentou Carvalho.

O presidente do Senado avaliou a declaração como desconhecimento do ministro sobre a polêmica gerada pelos conselhos no Congresso desde que Dilma sugeriu o tema. "Mais uma vez o ministro Gilberto Carvalho não está sabendo nem do que está falando", disse.

Ed Ferreira/Estadão
Renan disse que os conselhos nunca foram consenso entre deputados e senadores.
Essa dificuldade já estava posta desde antes das eleições. Ela apenas se repete. Essa coisa da criação de conselho é conflituosa, não prospera de forma conceitual. Deverá cair", afirmou.
O senador disse, contudo, que a substituição do decreto presidencial por um legislativo, aprovado na Câmara cancelando o documento elaborado pela presidente Dilma, não significa uma derrota do governo. "Não enxergo como derrota, absolutamente", considerou.
O projeto aprovado pela Câmara precisa passar por uma comissão do Senado para ir à votação no plenário da Casa. O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), contudo, pretende apresentar um pedido de urgência para que ele vá direto para o plenário. Já o PT prepara uma manobra para voltar com o texto original do Palácio do Planalto.
NIVALDO SOUZA - O ESTADO DE S. PAULO

29 Outubro 2014 | 16h 19

Pin It

Logo TAYSAM Web Design 147x29