IMLB - Instituto Mãos Limpas Brasil

Missão: Ser a Entidade mais ética da História do Brasil

Diretor de Redação

Mtnos Calil

Login

"Antigamente os cartazes nas ruas com rostos de criminosos oferecia recompensas, hoje em dia pede votos...
E o pior é que o BRASILEIRO dá...

Resultado de imagem para janot
 
É inacreditável o que está acontecendo no Brasil. A “crise”  se espalha para todos os lados e em todas as direções (desculpe pelo pleonasmo). Olha o que o Todo Poderoso Procurador Geral da República (foto) acabou de fazer: JOGOU NO LIXO UMA DELAÇÃO PREMIADA
O Ministério Público não faz parte do Poder Judiciário? Até isso se discute entre nossas “ôtoridades” porque a Constituição não foi clara a respeito. - cf. aqui:  https://jus.com.br/duvidas/52263/ministerio-publico-e-poder-judiciario­
Fizeram uma constituição gigantesca para controlar  a  tudo e a todos. Já na Grã Bretanha não existe nenhuma Constituição escrita. ( Pelo menos não é apenas o Brasil que é especializado em trapalhadas...). Os camaradas que escreveram a nossa Constituição não levaram em conta que tanta coisa escrita não daria para ser cumprida. Outros falam que a Constituição foi rasgada, mas se esquecem de dizer que há algumas “ordens” constitucionais que jamais foram cumpridas, como as indicadas no artigos que “imaginaram” uma sociedade justa e igualitária. Até essa ficção aparece em nossa Constituição.
Diante desta incrível trapalhada do Janot, a melhor coisa que ele teria a fazer é renunciar ao cargo, como a sua chefa também deveria ter feito no inicio do seu atrapalhado 2º. mandato. A guerra que era contra o PT agora vai ser agora contra a Lava Jato que declarou guerra ao PT.
Enquanto isso a economia continua no fundo do poço – se é que já chegou no fundo do poço, pois o desemprego continua crescendo.
Ontem fiquei sabendo através do Jornal do SBT que, segundo pesquisa do Ibope, 34% dos usuários dos convênios particulares de assistência médica abandonaram os convênios, enquanto o governo  transitório e temerário quer congelar os “gastos” nas áreas de saúde e educação.
E logo mais teremos eleições em todos os 5570 municípios brasileiros.5570 prefeitos serão eleitos num país onde  metade da população vive sem coleta do esgoto.
Duas novas “classes” foram criadas no Brasil: a que tem coleta de esgoto e a que não tem.
Essa “divisão de classes” vai continuar por muito, muito tempo, porque o país não tem recursos nem para pagar as despesas correntes, que dirá então para “investir” em saneamento básico.
E para piorar as coisas temos uma dívida monstruosa que continua crescendo devido às taxas malucas de juros.  
Essa dívida é tão sagrada para os credores que nem é passível de negociação?
Não se pode baixar os juros porque a inflação não deixa?
Só através do crescimento econômico segundo dizem alguns “especialistas” é que os juros serão reduzidos?
O que o PT e as elites anti-petistas fizeram com o Brasil não está escrito em nenhum gibi da história universal.
É inacreditável. O Brasil tinha tudo para ser uma potência mundial referência para a humanidade. Tinha tudo menos uma elite capaz de governá-lo.

Exclusivo: a delação que Janot jogou no lixo

PGR anula acordo do empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, descartando revelações pesadíssimas contra Lula - e que mencionam também Dilma, Aécio e Serra

Por Thiago Bronzatto Robson Bonin - Veja

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, tomou a decisão mais controversa da Operação Lava-Jato na semana passada. Diante da repercussão da reportagem de capa de VEJA, Janot informou que as negociações de delação do empreiteiro Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, estão encerradas. O vasto material produzido ao longo de cinco meses de tratativas entre a Procuradoria e o empreiteiro foi enviado para o incinerador, eliminando uma das mais aguardadas confissões sobre o escândalo de corrupção na Petrobras.

Para quem vive atormentado desde 2014, quando surgiu a Lava-­Jato, a decisão de Janot representa um alívio ou até a salvação. Léo Pinheiro se preparava para contar os detalhes de mais de uma década de simbiose entre o poder e a corrupção. Em troca de uma redução de pena, o empreiteiro ofereceu aos investigadores um calhamaço com mais de setenta anexos. São capítulos que mostram como a corrupção se apoderou do Estado em diversos níveis.

VEJA teve acesso ao conteúdo integral de sete anexos que o procurador-­geral decidiu jogar no lixo. Eles mencionam o ex-­presi­den­te Lula, a campanha à reeleição da presidente afastada Dilma Rousseff e, ainda, dois expoentes do tucanato, o senador Aécio Neves e o ministro José Serra. A gravidade das acusações é variável. Para Lula, por exemplo, as revelações de Léo Pinheiro são letais. Lula é retratado como um presidente corrupto que se abastecia de propinas da OAS para despesas pessoais. O relato do empreiteiro traz à tona algo de que todo mundo já desconfiava, mas que ninguém jamais confirmara: Lula é o verdadeiro dono do famoso tríplex no Guarujá, no litoral de São Paulo — comprado, reformado e mobiliado com dinheiro de uma conta em que a OAS controlava as propinas devidas ao PT.

O tríplex do Edifício Solaris é o tema de um dos anexos que narram crimes praticados pelo ex-presidente. O empreiteiro conta que, em 2010, soube, por intermédio de João Vaccari, então tesoureiro do PT, que Lula teria interesse em ficar com o imóvel no prédio. Vaccari, que está preso, pediu ao empreiteiro que reservasse a cobertura para o ex-presidente. Não perguntou o preço. E quem pagou? Léo Pinheiro responde: “Ficou acertado com Vaccari que esse apartamento seria abatido dos créditos que o PT tinha a receber por conta de propinas em obras da OAS na Petrobras”. Ou seja: dinheiro de propina pagou esse pequeno luxo da família Lula. Para transformar o que era um dúplex em um tríplex mobiliado, a conta, segundo a perícia, ficou em pouco mais de1 milhão de reais. Pinheiro esclarece até mesmo se Lula sabia que seu tríplex era produto de desvios da Petrobras. “Perguntei para João Vaccari se o ex-presidente Lula tinha conhecimento do fato, e ele respondeu positivamente”, diz o anexo.

Brasil ocupa a 11ª posição na AL em saneamento básico, diz estudo

16/03/2016

Marli Moreira – Repórter da Agência Brasil

 

Metade da população brasileira não conta com coleta de esgoto e apenas um quarto dela vive em localidades com tratamento dos dejetos, segundo estudo divulgado hoje (16) pelo Instituto Trata Brasil. O “Ranking do Saneamento nas 100 Maiores Cidades” foi feito com base em dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento, do Ministério das Cidades, relativos a 2014, e mostra que mais de 35 milhões de brasileiros ainda não recebem água tratada.

De acordo com o Instituto Brasil, o país ocupa a 11ª posição entre 17 países analisados pela Comissão Econômica para a América Latina (Cepal), estando atrás da Bolívia, Peru, Uruguai, Equador, Venezuela, Chile, México, Argentina, Colômbia e Costa Rica.

Nos últimos cinco anos, entre 2010 e 2014, 64% das cidades ampliaram os investimentos em até 29% da arrecadação e apenas 36% delas investiram acima dos 30% arrecadados nesse período. O valor relativo à soma das 20 cidades que mais investiram, em 2014, atinge R$ 827 milhões, quantia bem abaixo do montante arrecadado ( R$ 3,8 bilhões). Na média dos últimos cinco anos, foram investidos R$ 188,24 milhões, o equivalente a R$ 71,47 por habitante.

Em nota, o presidente executivo do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos, manifestou que “a preocupação é que os avanços em saneamento básico não só estão muito lentos no país, como cada vez mais concentrados onde a situação já está melhor. Estamos separando o Brasil em ilhas de estados e cidades que caminham para a universalização da água e esgotos, enquanto que uma grande parte do Brasil simplesmente não avança”. Ele alertou que, em consequência, a população fica mais vulnerável às doenças.

Na lista das dez cidades com a pior condição na coleta de esgoto, duas não têm nenhum tipo de atendimento do gênero: Ananindeua e Santarém, no estado do Pará. Ainda nesse estado aparece Belém, onde os serviços atendem apenas 12,7% da população.

As demais cidades são: Rio Branco, no Acre, com 21,23% da população atendida; Juazeiro do Norte , no Ceará (21,1%); Teresina, no Piauí (19,12%); Manaus, no Amazonas (9,9%); Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco (6,59%); Macapá, no Amapá (5,54%) e Porto Velho, em Roraima (2,04%).

Já em sentido oposto, dos dez municípios com a melhor situação, metade fica no estado de São Paulo, sem contudo, incluir a capital paulista: Franca, com 100% de atendimento; Piracicaba, com 99,95%; Santos, com 98,54%; Ribeirão Preto, com 98,5% e Santo André, com 98%%. Três são de Minas Gerais: Belo Horizonte (100%); Contagem (99,66%) e Uberaba (98%). As demais são: Curitiba, no Paraná com 99,18% e Volta Redonda, no Rio de Janeiro, com 98,96%.

Em relação ao tratamento de esgoto, entre as dez piores, três estão no estado de São Paulo: Bauru (3,75%); Itaquaquecetuba (3,68%) e Mauá (2,69%). Em metade do grupo, não existe nenhum tipo de tratamento: Ananindeua, Santarém, Porto Velho, São João do Meriti e Governador Valadares. Em Nova Iguaçu, o número é bem pequeno (0,05%), e em Belém do Pará (2,25%).

Sobre o acesso à água potável, o levantamento aponta para as 20 cidades com a melhor situação e cobertura total: Belo Horizonte; Campina Grande; Ribeirão Preto; João Pessoa; Curitiba; Canoas; Porto alegre; Santos; são Bernardo do Campo; Diadema; Carapicuíba; Uberlândia e Florianópolis. Jás dez piores são: Ananindeua (26,89%); Porto Velho (31,43%; Macapá (36,92%); Santarém (45,34%); Rio Branco (50,21%); Caucaia (67,58%); aparecida de Goiânia (70,7%); Jaboatão dos Guararapes (73,19%); Gravataí (75,21%) e Belford Roxo (80,05%).

Pin It

Logo TAYSAM Web Design 147x29

Selo Google1