IMLB - Instituto Mãos Limpas Brasil

Missão: Ser a Entidade mais ética da História do Brasil

Diretor de Redação

Mtnos Calil

Login

 

No Brasil, um Assessor de 3º nível de um Deputado, que também tem esse título para justificar seus ganhos, mas que não passa de um "aspone" ou mero estafeta de correspondências, ganha mais que um Cientista-pesquisador da Fundação Instituto Oswaldo Cruz, com muitos anos de formado, que dedica o seu tempo e a sua vida, buscando curas e vacinas para salvar vidas.

Resultado de imagem para rui barbosa

Rui Barbosa: "A política é a arte de gerir o Estado, segundo princípios definidos, regras morais, leis escritas, ou tradições respeitáveis. A politicalha é a indústria de explorar o benefício de interesses pessoais"

 

Foto do perfil de José Lopes Lopes Filho, A imagem pode conter: 1 pessoa

José Lopes Filho: "A sociedade  está cansada  de ser  ludibriada por esta máfia de parlamentares e de políticos retrógrados"

 

       COISAS DE NOSSA POLITICALHA NACIONAL, por José Lopes Filho: 

 

A) O senador, Eunício de Oliveira (PMDB) e o deputado Rodrigo Maia (DEM) foram eleitos, respectivamente, presidente do SENADO e da CÂMARA DOS DEPUTADOS , estando  eles investigados na Lava-Jato  e  citados  nas delações  da Odebrecht. O garboso  presidente da câmara , em recente entrevista, prometeu  votar e aprovar, até o próximo mês de junho,  as reformas da Previdência,Ttrabalhista e, talvez alguma reforminha  eleitoral fatiada como é de seu costume. Será?

 

B) Chamou a atenção, no enterro de  dona Marisa Letícia, a solidariedade de alguns políticos , não mui amigos de lula e envolvidos nos processos da  Lava –Jato; achamos louvável essa nobre atitude  embora  cheirando à hipocrisia.

 

COMENTÁRIOS DO MPMPL:

 

É assim que funciona o corporativismo hipócrita  da maioria dos políticos.

 

INFELIZMENTE --- a apatia e a descrença do eleitor nos sucessivos desgovernos  de seus representantes, a cegueira e a má vontade  da MÍDIA NACIONAL, dos CIENTISTAS POLÍTICOS,   somados  à politicalha  de   partidos  isentos de ideologias e de programas de governo --- impedem que uma reforma política  eleitoral partidária por Plebiscito e  Constituinte Exclusiva seja urgentemente  reivindicada pela sociedade, debatida, votada e aprovada para nos libertar desse nosso eterno e total  sistema  corrompido, formado, na sua maioria,  de parlamentares nepotistas, oligárquicos, ociosos, parasitas, carreiristas, perdulários  e inimigos do próprio  povo que os elegeu.

 

Como afirma o nobre Juiz MORO, a sociedade  também, precisa se engajar e que os brasileiros   “não fechem os olhos para a CORRUPÇÃO.  A sociedade  está cansada de ser  ludibriada por esta máfia de parlamentares  e de políticos retrógrados  que só aprovam Reforminhas   eleitorais  fatiadas, por PECS, de seu próprio interesse, e sonega-lhe a  verdadeira  MUDANÇA que se faz urgente e necessária.

O MPMPL, com todo o respeito, sugere  algumas  propostas de Reforma Política por PLEBISCITO que, se aceitas pela sociedade, salvo melhor juízo, alcançariam  os mesmos objetivos  de  economia  previstos   na  PEC 55  dos gastos:

 

1) VOTO FACULTATIVO;     

 

2) Obrigatoriedade   do  cumprimento do  TETO SALARIAL , c/ base  no  subsídio  do ministro  do STF (R$ 33.700,00) a  ser pago  a todos os agentes públicos da ativa, aposentados e pensionistas ,  dos Três Poderes da União , computando-se apenas o valor do SUBSÍDIO;

 

3) Regulamentar e monitorar os rendimentos do  EXTRA-TETO, isto é, as parcelas de indenização previstas em lei e que têm o objetivo de reembolsar os agentes públicos por despesas efetuadas no exercício de suas atividades [ajudas de custo ex-officio ,-diárias  e outras vantagens pessoais (insalubridade, periculosidade e hora extra)] divulgando, na internet, os nomes dos agentes públicos alcançados pelo EXTRA-TETO;

 

4) Reajuste  salarial, anual, aos parlamentares do Poder Legislativo  e aos servidores dos órgãos públicos dos Três Poderes da União com base no índice da inflação do ano anterior;     

5) Reduzir em 1/3 o número atual  de senadores, deputados federais, estaduais, distritais e de vereadores;

 

6) Reduzir  o valor dos subsídios e verbas indenizatórias e de gabinete pagas  aos parlamentares do  Legislativo federal, estadual e municipal;

 

7) Limitar  o período de mandato  eletivo de  deputados e vereadores  ( 4 anos), permitindo sua  REELEIÇÃO desde que  reeleitos  com mais de 2/3 dos votos exigidos por lei; idem de senadores (para 5 anos),  permitindo sua REELEIÇÃO desde que reeleitos com mais de 2/3 dos votos exigidos por lei;

 

8) Acabar com os 2 suplentes se SENADOR;

 

9) Regulamentar o recebimento de SUBSÍDIO dos  Vereadores dos 5.570 municípios da União com base no número de edís e da população do município;

 

NOTA - É uma incoerência um vereador de Juiz de Fora(MG) Com 600.000 Habitantes e 19 edís,  receber o mesmo subsídIo de um vereador da capital de São Paulo c/ 11 milhões de habitantes e 55  edís. Imaginem quanta economia para o país se faria com a aplicação destas 9 propostas!

 

A C O R D A  B R A S I L!!

 

Onde  se esconderam o povo e  os movimentos de protesto  nas redes sociais ? (MBL, Vem pra Rua, MCC). 

 

Se não fizermos a reforma política  por constituinte exclusiva, ficaremos eternamente reféns dessa quadrilha de políticos profissionais. 

 

JUIZ DE FORA- MG - JOSÉ LOPES FILHO- CIDADÃO C/ 100  ANOS DE IDADE - FUNDADOR DO MOVIMENTO POPULAR PRÓ-MORALIZAÇÃO NO PODER LEGISLATIVO- MPMPL- ENTRE EM NOSSO SITE  www.mpmpl.org

 

MPMPL -  11/02/2017

 

                          A politica e a politicalha, por Rui Barbosa

 

               "Maior que a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado. "

            

“A política afina o espírito humano, educa os povos no conhecimento de si mesmos, desenvolve nos indivíduos a atividade, a coragem, a nobreza, a previsão, a energia, cria, apura, eleva o merecimento.


Não é esse jogo da intriga, da inveja e da incapacidade, a que entre nós se deu a alcunha de politicagem. Esta palavra não traduz ainda todo o desprezo do objeto significado. Não há dúvida que rima bem com criadagem e parolagem, afilhadagem e ladroagem. Mas não tem o mesmo vigor de expressão que os seus consoantes. Quem lhe dará com o batismo adequado? Politiquismo? Politicaria? Politicalha? Neste último, sim, o sufixo pejorativo queima como um ferrete, e desperta ao ouvido uma consonância elucidativa.


Política e politicalha não se confundem, não se parecem, não se relacionam uma com a outra. Antes se negam, se excluem, se repulsam mutuamente.


A política é a arte de gerir o Estado, segundo princípios definidos, regras morais, leis escritas, ou tradições respeitáveis. A politicalha é a indústria de explorar o benefício de interesses pessoais. Constitui a política uma função, ou o conjunto das funções do organismo nacional: é o exercício normal das forças de uma nação consciente e senhora de si mesma.


A politicalha, pelo contrário, é o envenenamento crônico dos povos negligentes e viciosos pela contaminação de parasitas inexoráveis. A política é a higiene dos países moralmente sadios. A politicalha, a malária dos povos de moralidade estragada”.

 

Pin It

Logo TAYSAM Web Design 147x29

Selo Google1