IMLB - Instituto Mãos Limpas Brasil

Missão: Ser a Entidade mais ética da História do Brasil

Diretor de Redação

Mtnos Calil

Login

 

No Brasil, um Assessor de 3º nível de um Deputado, que também tem esse título para justificar seus ganhos, mas que não passa de um "aspone" ou mero estafeta de correspondências, ganha mais que um Cientista-pesquisador da Fundação Instituto Oswaldo Cruz, com muitos anos de formado, que dedica o seu tempo e a sua vida, buscando curas e vacinas para salvar vidas.

 
Nota da Redação: o enlouquecimento da humanidade é um assunto de crucial importância que está sendo ignorado pela mídia, que divulga todas as barbáries em curso no Brasil e no mundo mas não analisa em profundidade as causas da barbárie que em parte estão na esfera educacional, em parte na má gestão da economia e em parte na esquizofrenia social, a qual  por sua vez é um assunto ignorado pelos profissionais de psicologia. 
 
O homem expeliu o aparelho pela boca / Secretaria da Administração Penitenciária/Divulgação
 
Criminoso engoliu o celular por medo de ser descoberto em Jundiaí
 
 

Ele está preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Jundiaí, após ter engolido o aparelho de 7 centímetros de comprimento durante revista de rotina no presídio, da Rodovia dos Bandeirantes. 

 

Um agente penitenciário desconfiou das atitudes do detento e o conduziu ao Pronto Socorro do Hospital São Vicente de Paulo, no centro de Jundiaí, para a realização de exame de raios X. No exame foi confirmado que o aparelho estava no estômago do detendo. 

 

O preso acabou confessando que engoliu porque ficou com medo das consequências se fosse flagrado com o aparelho na cela.

 

Os médicos do hospital de Jundiaí realizaram procedimentos para o preso expelir o aparelho pela boca, para evitar uma cirurgia.

 

O delegado Seccional de Polícia Civil, Luiz Carlos Branco Júnior disse que os investigadores vão trabalhar para descobrir quem entregou aparelho ao preso. Lopes recebeu alta médica e voltou para a cadeia. O telefone foi encaminhado para perícia da Polícia Científica.

 

3 de novembro de 2016

 

 

Procurador é encontrado morto em carceragem da PF

 

 

Pedro Roso estava preso desde o dia 2 de setembro por suspeita de estupro
 
 A assessoria do deputado estadual Juliano Roso (PCdoB) confirma a informação de que o seu irmão, Pedro Roso, foi encontrado morto no interior da carceragem da Polícia Federal, em Porto Alegre. Pedro era procurador do Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul, lotado em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre. Ele estava preso desde o dia 2 de setembro por suspeita de ter praticado um estupro.
 
 O caso em que era investigado corria em Segredo de Justiça no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Por ser procurador da República, Roso tinha foro privilegiado, não podendo ser investigado pela Polícia Civil.
 
Pin It

Logo TAYSAM Web Design 147x29

Selo Google1