Instituto Mãos Limpas Brasil

Missão: Ser a Entidade mais ética da História do Brasil

Diretor de Redação

Mtnos Calil

Menu do Usuário

Login

"Antigamente os cartazes nas ruas com rostos de criminosos oferecia recompensas, hoje em dia pede votos...
E o pior é que o BRASILEIRO dá...

 

Fiquei abalado com este artigo seu publicado hoje (18/03/2017)  na FSP. Não imaginei que um filósofo da USP poderia fazer este papel de assessor do PT, sacrificando de forma impiedosa a ética.  

 

Parece que a ética no campo da filosofia não passa mesmo de uma abstração metafísica. Como existe uma estreita correlação entre ética e lógica, solicitei ao nosso TLE – Triturador Lógico-Ético que fizesse uma análise isenta dos seus conselhos dados a Lula e ao PT.

 

E se eu fosse seu conselheiro, recomendaria enfaticamente que solicitasse à direção da Folha para remover este artigo de todos os arquivos do jornal. Só falta agora o prof. Vladimir  Safatle apoiar a candidatura de Lula.  

 

Abraços e meus pêsames

 

Mtnos Calil 

 

                Análise lógico-ética do artigo de Hélio Schwartsman

                               "Lula Candidato", publicado na Folha em 18/03/2017

 

Hélio Schwartsman - HS - Para Luiz Inácio Lula da Silva, faz mesmo todo o sentido sair como candidato a presidente no pleito de 2018.

 

Triturador Lógico-Ético – TLE -  Que “sentido” é esse? Seja qual for o conceito adotado, obviamente a ética está ausente desta semântica marqueteira.

 

HS  - A vantagem mais óbvia é que Lula terá um discurso para contrapor às acusações que enfrenta na Justiça. Poderá dizer que os processos não passam de uma tentativa de afastá-lo das eleições, tentando assim transformar a discussão jurídica numa disputa política.

 

TLE – Transformar a discussão jurídica numa disputa política??? Quer dizer então que as leis podem ser transformadas em  “juízos de valor” politicos?

 

Bem... se as próprias leis são elaboradas pelos políticos ditos legisladores, pode-se esperar de tudo da “Justiça”, inclusive a absolvição de Lula.

 

HS-  E, se ele for condenado em segunda instância antes do pleito, hipótese em que não poderia concorrer e correria até o risco de ser preso, sempre poderá atribuir o desfecho à contenda eleitoral e não a seu comportamento ético.

 

TLE – “Correria até o risco” de ser preso. Quer dizer então que existem boas chances de ele ficar solto? Nesse caso, o seu grande parceiro Zé Dirceu, teria sido o grande responsável pelas mazelas do PT? E se as falhas de Lula se devem apenas a seu “comportamento ético”, ele pode ser absolvido, já que o nosso Código Penal não pune com rigor “falhas éticas”.

 

HS - Para o PT também existem benefícios de curto prazo. Em primeiro lugar, ao sair com Lula, diminuem as chances de o partido sofrer uma derrota acachapante nas urnas, semelhante à que ocorreu no último pleito municipal. A união das tendências em torno da candidatura do ex-presidente também evita que o partido rache no que provavelmente é o momento mais difícil de sua história.

 

TLE – Meu Deus!!! Esse é o conselho que você está dando PT??  – fazer uso de um corrupto consagrado para não ter uma derrota acachapante nas urnas? Então ficamos assim : enquanto os votos dados ao PT  vão para as urnas (agora invisíveis) a ética vai para a lata de lixo (bem visível).

 

HS - Receio, porém, que no médio e no longo prazo, seria mais vantajoso para o PT e para a própria democracia brasileira que a agremiação não ficasse estacionada no passado, mas conseguisse renovar-se, para o que é fundamental que ela passe por um processo de autocrítica que precisa abarcar tanto o aspecto ético —mesmo que Lula seja inocentado, está claro que várias lideranças "se lambuzaram", para usar a expressão de um petista ilustre— como o programático —um bom pedaço da crise que enfrentamos pode ser atribuído a uma visão equivocada do partido sobre o funcionamento da economia. E será muito difícil fazer essa autocrítica enquanto Lula se mantiver na posição de esteio da legenda.

 

TLE –

a) Então o ilustre filósofo e professor da USP gostou do uso do verbo “lambuzar” como sinônimo alternativo do verbo “corromper”? Apesar de corrupto – ou no mínimo conivente com a corrupção -  o petista não citado continua sendo “ilustre”?

 

b) Quer dizer então que bastaria ao PT  fazer uma simples “auto-critica” para reconquistar o apoio de nossas pobres e ignorantes massas que compartilham a “ditadura da ignorância”  vigente no Brasil?

 

Já que pelo menos o ilustre articulista reconhece que os petistas se “lambuzaram”, aproveito a sua camaradagem para com o PT para dar um conselho ético aos petistas que ainda não perderam a vergonha na cara:  MANDEM EMBORA DO PARTIDO TODOS OS CORRUPTOS, COMEÇANDO COM  LULA

 

E para você não pensar que estou a serviço da direita, basta dizer que a direita é a outra face da esquerda corrupta. (há exceções –existem pessoas honestas na direita e na esquerda, mas não mandam nada, além de serem em geral muito silenciosas). E o fato de Lula e o PT serem corruptos não anula o fato histórico de terem tirado 30 ou 40 milhões de brasileiros da miséria. Até o Temer é defensor do Bolsa Familia, desde que, é claro, seja aprovada a reforma da previdência que vai acabar com aposentadoria de alguns milhões de brasileiros. Afinal o Bolsa Familia é bem mais barato que a aposentadoria, né?

 

HS - Toda democracia precisa de um partido de massas mais à esquerda. Até aqui, foi o PT quem desempenhou este papel de forma inconteste. Se um PT renovado não ocupar este espaço, outra agremiação o fará. 

 

TLE – Esse papo de esquerda e direita já era, meu chapa. O futuro da humanidade depende da extinção desta dicotomia anacrônica. Morto o comunismo, só resta à humanidade civilizar o capitalismo ou prosseguir na sua marcha em direção ao abismo, conduzida pelos psicopatas do poder, sob a contemplação dos filósofos. Filosofia é a “ciência da contemplação” ?! 

 

                             Artigo "Lula Candidato" de Hélio Schwartsman na integra

                                                  

Para Luiz Inácio Lula da Silva, faz mesmo todo o sentido sair como candidato a presidente no pleito de 2018.

 

A vantagem mais óbvia é que Lula terá um discurso para contrapor às acusações que enfrenta na Justiça. Poderá dizer que os processos não passam de uma tentativa de afastá-lo das eleições, tentando assim transformar a discussão jurídica numa disputa política. E, se ele for condenado em segunda instância antes do pleito, hipótese em que não poderia concorrer e correria até o risco de ser preso, sempre poderá atribuir o desfecho à contenda eleitoral e não a seu comportamento ético.

 

Para o PT também existem benefícios de curto prazo. Em primeiro lugar, ao sair com Lula, diminuem as chances de o partido sofrer uma derrota acachapante nas urnas, semelhante à que ocorreu no último pleito municipal. A união das tendências em torno da candidatura do ex-presidente também evita que o partido rache no que provavelmente é o momento mais difícil de sua história.

 

Receio, porém, que no médio e no longo prazo, seria mais vantajoso para o PT e para a própria democracia brasileira que a agremiação não ficasse estacionada no passado, mas conseguisse renovar-se, para o que é fundamental que ela passe por um processo de autocrítica que precisa abarcar tanto o aspecto ético —mesmo que Lula seja inocentado, está claro que várias lideranças "se lambuzaram", para usar a expressão de um petista ilustre— como o programático —um bom pedaço da crise que enfrentamos pode ser atribuído a uma visão equivocada do partido sobre o funcionamento da economia. E será muito difícil fazer essa autocrítica enquanto Lula se mantiver na posição de esteio da legenda.

 

Toda democracia precisa de um partido de massas mais à esquerda. Até aqui, foi o PT quem desempenhou este papel de forma inconteste. Se um PT renovado não ocupar este espaço, outra agremiação o fará. 

 

 

 

Pin It

Logo TAYSAM Web Design 147x29