IMLB - Instituto Mãos Limpas Brasil

Missão: Ser a Entidade mais ética da História do Brasil

Diretor de Redação

Mtnos Calil

Login

"Antigamente os cartazes nas ruas com rostos de criminosos oferecia recompensas, hoje em dia pede votos...
E o pior é que o BRASILEIRO dá...

 Da série – O que significa “ser a entidade mais ética da História do Brasil”?

Escrito por Mtnos Calil no sábado do Carnaval de 2016

“Só me senti brasileiro duas vezes: uma no Carnaval, quando sambei na rua. Outra quando surrei Julie depois que ela me traiu” – frase citada no primeiro livro de Jorge Amado “País do Carnaval”.

1. Neste carnaval de 2016 estamos vendo mais uma vez milhões de brasileiros festejando o maior carnaval do mundo ou o maior espetáculo da terra. Sem dúvida, o carnaval é uma das mais evidentes manifestações da nossa cultura e que está associada ao que poderíamos chamar de “brasilidade”, como  designação de  nossa essência nacional. O nosso DNA sociológico e antropológico é constituído, tal qual o DNA biológico, por elementos positivos e construtivos e também por “genes sociais” destrutivos. Ser brasileiro não significa, porém,  ser radicalmente nacional, no sentido de se diferenciar da natureza humana que é o elemento básicos de todos os povos em todos os rincões da terra e em todas as etapas da história da humanidade.

2. Hoje a maioria dos brasileiros está descrente do futuro da Nação. Essa descrença é justificada por uma das maiores crises econômicas, sociais e políticas da História do Brasil e que vai durar alguns anos até ser debelada sem, porém, que o fim da crise signifique uma nova aurora do desenvolvimento nacional.

3.Dificilmente encontraremos no planeta um povo que tenha uma imagem tão negativa a respeito de si próprio. Mas quando os brasileiros se queixam ou falam mal do Brasil, eles não levam em conta que o Brasil é feito de brasileiros! Quando um brasileiro fala mal do Brasil, ele se isenta de qualquer responsabilidade sobre as nossas trapalhadas e malfeitos. Não será essa visão benevolente para consigo próprio mais um sinal do famoso “jeitinho brasileiro” de ser? No caso, a esperteza ou malandragem seriam inconscientes?  Na psicologia ocupa espaço relevante o fenômeno chamado  “projeção” através do qual nós transferimos para os outros as nossas falhas e irresponsabilidades comportamentais.

4. O Instituto Mãos Limpas Brasil- IMLB, tem por missão ser a entidade mais ética da História do Brasil. Trata-se de uma mera fantasia ou é algo factível? Seja ou não fantasia, o fato é que esta missão já foi estabelecida de forma irreversível. Mesmo que seja uma fantasia, ela será escrita e registrada em cartório. O termo “missão”, que tem uma conotação claramente religiosa, combina bem com a pretensão fundamentalista de ocupar um lugar único na história de uma Nação, que bem ou mal, possui uma das maiores economias planeta, e que continua interessando muito às empresas e grupos financeiros internacionais, apesar da atual crise, cuja dimensão somente foi superada ou igualada pela crise dos anos 30, provocada pela recessão mundial. E mais uma vez os chineses vêm confirmada a sua versão semântica da crise que atribui ao termo o sentido de oportunidade. Muitos grupos internacionais estão vibrando com a nossa crise porque com a desvalorização brutal do real, eles podem fazer verdadeiros “negócios da China”, comprando as nossas empresas e outros ativos, a preço de banana. É assim que nosso espírito colonial se manifesta em pleno século XXI.

5. Muito à diferença do que fazem as grandes corporações, o IMLB não pode aderir ao simulacro de pseudo planos estratégicos que chegam ao cúmulo, como já vimos numa multinacional instalada no Brasil,  de registrar por escrito a finalidade de promover a felicidade de seus funcionários. Como muito bem diz o ditado popular, “o papel aceita tudo”.

5.1. Mas se o papel aceita tudo como o IMLB vai mostrar que não está repetindo o malfeito destas empresas? É claro que o fato de  apenas escrever que tem a missão de ser a entidade mais ética da História do Brasil nada prova a respeito da veracidade missionária expressa em meras palavras. Sem dúvida! – O IMLB terá que demonstrar na prática como está ou estará atuando para “cumprir” a sua missão. Podemos então elaborar o que as corporações do simulacro não fazem, ou seja: uma estratégia para levar a missão à prática.

Estratégia para cumprir a missão de ser a entidade mais ética da História do Bras

1. Estudar a História do Brasil.

Se o IMLB não abrangesse toda a História do Brasil, não precisaríamos nos aprofundar neste estudo. Bastaria fazermos menção a algumas passagens de nossa história mais relevantes para o tema da ética. Todavia, como já verificamos acima, a questão da ética e do jeitinho brasileiro de ser  está vinculada ao nosso DNA sócio-cultural.

Este estudo da História deve priorizar as questões estratégicas que dizem respeito à ética. Os livros de história com muita frequência são escritos ao estilo mesmo dos “contadores de história”. Se a base da história são os fatos históricos, nada mais lógico que sua narrativa dê ênfase às “cenas” que chamam a atenção do leitor e que acaba se colocando no palco dos acontecimentos passados.

Precisamos então distinguir entre a narrativa estratégica da história de sua narrativa cênica ou meramente factual. Uma visão estratégica do fato histórico exige um acesso aos  dados invisíveis que não aparecem na descrição dos fatos, como por exemplo, interesses de grupo não revelados.

Para formarmos uma visão estratégica da História do Brasil, selecionamos os 7 livros listados abaixo e que nos parecem suficientes para fundamentar a missão do IMLB.

Raizes do Brasil – Sergio Buarque de Holanda

Casa Grande e Senzala –Gilberto  Freire

Formação do Brasil Contemporâneo – Caio Prado Jr.

Os donos do poder – Raymundo Faoro

Carnavais, malandros e heróis – Roberto Damatta

História do Brasil – Boris Fausto

Globalização versus Desenvolvimento – Adriano Benayon

Entretanto, esta lista poderá ser ampliada com sugestões apresentadas pelos membros do IMLB.

1. Definir um conjunto de procedimentos e atividades que demonstrem que o IMLB está de fato levando à prática a sua missão. Neste conjunto estarão incluídos os seguintes itens:

a) Elaboração de um código de ética cuja aplicação seja monitorada continuamente de modo a revelar que está sendo levado à prática.

b) Ser transparente em tudo que faz e não apenas em relação às contas, através da divulgação em seu site.

c) Cultivar a verdadeira amizade entre seus membros através da ajuda mútua, levando em conta as possibilidades e necessidades individuais.

Para encerrar a primeira mensagem desta série reproduzimos abaixo a letra da canção de Chico Buarque que fala sobre a disseminação  da malandragem brasileira. Se quiser ouvir o Chico cantando, acesse

https://www.letras.mus.br/chico-buarque/45135/

Abraços e bom carnaval

Mtnos Calil

 

Homenagem ao Malandro

Chico Buarque, 1979.

Eu fui fazer um samba em homenagem
À nata da malandragem, que conheço de outros carnavais
Eu fui à Lapa e perdi a viagem,
Que aquela tal malandragem não existe mais.

Agora já não é normal, o que dá de malandro
Regular profissional, malandro com o aparato de malandro oficial
Malandro candidato a malandro federal
Malandro com retrato na coluna social
Malandro com contrato, com gravata e capital, que nunca se dá mal

Mas o malandro para valer, não espalha
Aposentou a navalha, tem mulher e filho e tralha e tal.
Dizem as más línguas que ele até trabalha,
Mora lá longe, chacoalha, no trem da Central.

Agora já não é normal, o que dá de malandro
Regular profissional, malandro com o aparato de malandro oficial
Malandro candidato a malandro federal
Malandro com retrato na coluna social
Malandro com contrato, com gravata e capital, que nunca se dá mal

Mas o malandro para valer, não espalha
Aposentou a navalha, tem mulher e filho e tralha e tal.
Dizem as más línguas que ele até trabalha,
Mora lá longe, chacoalha, no trem da Central.

 

Pin It

Logo TAYSAM Web Design 147x29

Selo Google1